Este website utiliza cookies de acordo com a política em vigor. Ao continuar a navegação está a aceitar a sua utilização.
Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Cookies aqui.

Uma raridade: vinho dos mortos

phoenix

"Vinho dos Mortos" é o nome dado pelos moradores do norte de Portugal, da cidade de Botica, ao vinho enterrado. Aqui todos conhecem a história que deu origem a essa tradição e há dois anos tornou-se conhecida internacionalmente.

Traditionalmente, os vinhos enterrados eram somente vendidos nos supermercados locais de Boticas e também nos restaurantes. Há dois anos, os vinhos que ficam enterrados de fevereiro até junho passaram a fornecer qualidade de origem. Também foi construído um museu, onde os vinhos podem ser comprados pelo público, perto dos vinhedos. Para a inauguração, compareceu até o Presidente Anibal Cacaco Silva.

Desde então, o "Vinho dos Mortos" tem sido uma atração, o que é positivo para o produtor Armindo Sousa Pereira, o único que fornece certificado de qualidade. Ele enterra sua total produção, de 2.500 garrafas a cada inverno epode estar certo de vender todas elas.

O nome 'Vinho Dos Mortos" é estranho. Trata-se de vinhos produzidos no local, que ficam enterrados sob o cascalho e a terra por cerca de 4 a 5 meses. Essa maneira curiosa de armazenamento teve origem na invasão francesa do ano de 1806, quando os soldados franceses se aproximaram de Boticas em direção a Porto. Os moradores enterravam seus bens de valor, dentre eles o vinho, na época, difícil de ser obtido, para se proteger dos saques.